http://img710.imageshack.us/img710/7564/portalfutebolbyjoaolope.png
Liga dos Campeões - Manchester United 1-0 Arsenal
publicado por Ribeiro' a quinta-feira, 30 de abril de 2009



Meias-finais

O Manchester United FC venceu o Arsenal FC pela margem mínima, em Old Trafford, num jogo onde os homens da casa ficarão, certamente, a lamentar as várias oportunidades desperdiçadas e a excelente exibição do guarda-redes contrário.

Vantagem escassa
Um golo de John O'Shea, no seguimento de um pontapé de canto, aos 17 minutos, deu vantagem ao United, e os "red devils" dispuseram de várias oportunidades para dilatar o marcador de forma a partirem com maior conforto para o encontro da segunda mão, em Londres. Porém, um inspirado Manuel Almunia e a trave da baliza do Arsenal evitaram que os "gunners" deixassem Manchester com uma derrota mais pesada.

O'Shea abre o activo

O encontro começou com o United a procurar marcar cedo e, logo aos dois minutos, Wayne Rooney correspondeu de cabeça a um centro de Darren Fletcher, obrigando Almunia a uma excelente intervenção. Os homens da casa imprimiram muita velocidade ao seu jogo nos minutos iniciais e continuaram a ameaçar a baliza do Arsenal. Aos 11 minutos foi Cristiano Ronaldo a tentar a sua sorte de longe, com a bola a passar ao lado e, aos 16, Carlos Tévez rematou para defesa espectacular de Almunia. Contudo, no pontapé de canto que se seguiu, o United chegou mesmo ao golo. Anderson cobrou o canto, a bola chegou a Michael Carrick que cruzou na direcção de O'shea. Livre de marcação, o defesa irlandês inaugurou o marcador.

Almunia evita o segundo

O Arsenal tentava explanar o seu futebol, baseado nas trocas de bola e nos passes curtos, mas a velocidade e criatividade de homens como Anderson, Ronaldo, Tévez e Rooney criavam sempre muitas dores de cabeça à defesa londrina. À passagem do minuto 29, o United esteve perto do segundo golo, quando Tévez centrou da direita e Ronaldo apareceu a cabecear bem, de cima para baixo, mas Almunia, com nova intervenção extraordinária, negou o golo ao internacional português. Até ao final da primeira parte o ritmo do encontro abrandou e o Arsenal conseguiu, finalmente, trocar a bola no meio campo adversário sem, contudo, criar verdadeiro perigo para a baliza contrária.

Ronaldo à trave

O segundo tempo começou como o primeiro tinha terminado, sem grandes lances de perigo e com os visitantes a aventurarem-se agora mais vezes no seu meio-campo ofensivo, mas apenas aos 61 minutos conseguiram ameaçar Edwin van der Sar, através um remate de primeira de Emmanuel Adebayor, ainda de fora da área, que passou ligeiramente por cima. Este lance despertou o United que, de imediato, se voltou a instalar no meio-campo adversário. Aos 69 minutos, Ronaldo libertou-se de um adversário, ganhou espaço no meio-campo adversário e, de muito longe, disparou à trave da baliza à guarda de Almunia. Pouco depois foi Carrick, também de fora da área, a rematar forte e a fazer a bola passar centímetros ao lado do alvo.

Golo anulado
À passagem do minuto 78, Ryan Giggs, recém-entrado para o lugar de Anderson, chegou mesmo a fazer a bola voltar a entrar na baliza do Arsenal, mas o árbitro da partida, por indicação do seu auxiliar, invalidou o lance por fora-de-jogo. Até ao final a partida o jogo continuou a decorrer na mesma toada, sem grandes lances de perigo de parte a parte, e o resultado não sofreu mais alterações.



Manchester United 1-0 Arsenal

Estádio: Old Trafford
Hora: 19:45h
Árbitro: Claus Bo Larsen (Dinamarca)

Onzes Iniciais

Manchester United

1 Edwin van der Sar
3 Patrice Evra
5 Rio Ferdinand
7 Cristiano Ronaldo
8 Anderson
10 Wayne Rooney
15 Nemanja Vidić
16 Michael Carrick
22 John O'Shea
24 Darren Fletcher
32 Carlos Tévez

Suplentes

12 Ben Foster
9 Dimitar Berbatov
11 Ryan Giggs
13 Ji-Sung Park
18 Paul Scholes
21 Rafael
23 Jonny Evans

Treinador: Sir Alex Ferguson

Arsenal

1 Manuel Almunia
2 Abou Diaby
3 Bacary Sagna
4 Cesc Fàbregas
5 Kolo Touré
8 Samir Nasri
14 Theo Walcott
17 Alexandre Song
18 Mikaël Silvestre
25 Emmanuel Adebayor
40 Kieran Gibbs

Suplentes

21 Łukasz Fabiański
9 Eduardo da Silva
15 Denilson
16 Aaron Ramsey
20 Johan Djourou
26 Nicklas Bendtner
27 Emmanuel Eboué

Treinador: Arsène Wenger

Golos: John O'Shea 17'




Substituições: < Berbatov - > Tévez 67'; < Giggs - > Anderson 67'; < Bendtner - Walcott > 71'; < Eduardo - Adebayor > 83'; < Evans - Ferdinand > 88'.

Disciplina: Tévez (A).

Estatístiscas:

Man. United
Arsenal
1Golos marcados0
8Remates à baliza1
6Remates para fora4
0Remates interceptados0
1Cartões amarelos0
0Cartões vermelhos0
11Faltas cometidas9
4Cantos0
4Foras-de-jogo2
38' 56''P. bola (tempo)31' 46''
55%P. bola (%)45%

Rescaldo:

Alex Ferguson, treinador do Manchester United:
É claro que estou desapontado. Tivemos boas oportunidades de golo e o guarda-redes adversário fez uma ou duas defesas fantásticas. Porém, havíamos dito antes do jogo que queríamos vencer sem sofrer um golo e esse objectivo foi alcançado. A exibição foi boa e tivemos uma excelente ocasião para seguir já em frente, mas é claro que a eliminatória não terminou ainda. Sabemos que podemos marcar fora, na segunda mão. Não sofremos qualquer golo e penso que isso pode ser a chave da passagem. [Wenger] tem de permanecer confiante, pois terá ficado a pensar que teve um dia bom - eles podiam ter ficado de fora da eliminatória e continuam a poder discutir a passagem à final. Os nossos adeptos estão frustrados, poderíamos estar já na final e não estamos, mas essa é a natureza própria do clube, porque também já passámos da forma mais difícil na última eliminatória, com o FC Porto. O Arsenal teve posse de bola, mas não fez nada, porque travámos o adversário muito bem e não acho que tenha sido demérito do Arsenal, mas sim fruto do trabalho e valor dos nossos defesas. Quando jogamos concentrados somos capazes de fazer isso.

O'Shea marcou [o golo] muito bem. A bola foi desviada por um defesa do Arsenal e caiu no solo com grande velocidade, mas ele dominou-a muito bem. Foi uma boa finalização. O John é um grande profissional, nunca se queixa e está sempre satisfeito, jogue em que lugar seja. Ele sabe que não foi sempre uma primeira escolha ao longo dos anos, mas contribui para o sucesso colectivo e estamos-lhe gratos por isso. É tão versátil que consegue jogar em muitas posições e isso é uma mais-valia para nós. Esta época jogou muitas mais vezes por causa das lesões que têm havido no plantel e se me perguntassem se seria titular na final, a minha resposta seria sim.


Arsène Wenger, treinador do Arsenal:
Foi um jogo difícil, disputado a alto ritmo. O United começou mais forte e se olharmos ao número de oportunidades de golo, é claro que eles tiveram mais. A parte positiva foi termos perdido apenas por 1-0. Vamos jogar em casa, acredito que vai aparecer um Arsenal diferente e que podemos dar a volta a este resultado. O futebol é mesmo assim. Pode-se disputar amanhã o mesmo jogo e o desenrolar ser completamente diferente. Temos qualidade para conseguir isso. A eliminatória está em aberto. Eles ficaram a lamentar-se por não terem marcado o segundo golo e cabe-nos a nós fazer com que eles se lamentem ainda mais.

[Manuel Almunia] esteve em excelente nível, mostrou ter classe mundial em todos os sentidos, na leitura de jogo, decisões, qualidade, concentração, enfim, volto a dizer, mostrou classe neste jogo. [Kieran] Gibbs voltou a fazer um jogo muito bom, é um lateral muito promissor. Não fomos suficientemente ofensivos neste jogo, mas após os primeiros 20 minutos o encontro já estava mais equilibrado do que alguém seria capaz de prever. Não fomos suficientemente acutilantes no último terço do terreno e defensivamente fomos muito concentrados, mas estávamos numa situação em que deveríamos ter aparecido mais no jogo. Quer isso dizer que o United pôde jogar da forma que mais gosta, em contra-ataque, e isso foi uma vantagem clara para eles. O próximo jogo é uma boa oportunidade para mostrarmos a nossa identidade e força psicológica - e acredito que isso vai acontecer. Claro que [em caso de vitória] seria a mais importante de todas porque está uma final em jogo e quando se actua em casa é preciso mostrar que se está preparado para algo tão importante. Estou confiante porque acredito que vamos estar no nosso melhor nível na próxima terça-feira e aparecerá em campo um Arsenal diferente.

Fonte: http://pt.uefa.com/

;)

Etiquetas:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]